[ editar artigo]

Liderança Feminina - Brasileiras que inspiram!

Liderança Feminina - Brasileiras que inspiram!

Sua empresa incentiva o empreendedorismo feminino? Dá oportunidade em cargos de chefia?  Você sabe os benefícios que a liderança feminina pode trazer para sua empresa? Conheça algumas mulheres empreendedoras e suas histórias de sucesso.

Apesar da desigualdade de oportunidade e desigualdade salarial, elas “criaram”  suas oportunidades.  Todas tem características marcantes que levaram elas ao topo.

  1. São apaixonada pelo que faz . (Escolheram investir na área que amam e dominam);
  2. Tem um comunicação eficaz. (São melhores ouvintes, tem o dom da palavra e tendem a uma comunicação eficaz);
  3. Buscam constante o conhecimento. (Se atualizam mais, se dedicam mais horas aos estudos);
  4. Bom relacionamento Interpessoal. (Maior facilidade de lidar com as pessoas);
  5. Tem aptidão para negociar. ( Como o papel de mãe já exige esta habilidade, facilita também para seu negócio);
  6. Deixam os ambientes mais agradáveis.( Sentem mais empatia e são mais compreensivas com o colegas);

Conheça alguns nomes e história destas empreendedoras :

  • Luiza Helena Trajano é uma das mulheres empreendedoras mais poderosas do Brasil. Esteve à frente do Magazine Luiza, por 24 anos, uma das maiores marcas do varejo do país, com e-commerce e 113 lojas físicas, distribuídas por 819 cidades, de 21 estados. Só em 2019, as vendas totais do Magalu foram de 27,3 bilhões de reais.

Além disso, a empresa está no ranking das “Melhores empresas para se trabalhar” há 22 anos consecutivos. Hoje, ela atua como Presidente do Conselho de Administração do Magalu e é Embaixadora Endeavor, e divide suas horas em inspirar, mentorar e investir em empreendedores e empreendedoras por todo o Brasil.

  • Sonia Hess - Dudalina . Após uma compra  do Seu Duda, muito mais do que deveria de um tecido,  que certamente seria prejuízo, D. Lina assumiu o controle  e  descosturou uma camisa que tinha na venda, entendeu como a peça era feita, contratou duas costureiras (que passaram a trabalhar no quarto dos filhos) e, naquela tarde, fizeram três peças que venderam bem rápido. Da situação, Dona Lina viu uma oportunidade e assim nasceu a Dudalina, em 1957.

Seu Duda e Dona Lina são os pais de Sônia Hess. Segundo Sônia, as lojas tocadas pela mãe, de quem herdou a sensibilidade para os negócios, eram muito mais bem sucedidas. Com 11 irmãos homens, Sônia assumiu a presidência da camisaria fundada pelos dois e a transformou na maior exportadora de camisas do país. Perguntada se ser mulher atrapalha, ela responde que não: “o que importa é o espírito empreendedor”.

  •  Janete Vaz e Sandra Costa,  bioquímicas e  amigas se tornaram sócias. Com muita humildade para aprender, essas duas mulheres empreendedoras começaram buscando credibilidade junto à classe médica e perceberam o quanto precisavam se capacitar. “Nós não sabíamos fazer gestão, éramos duas farmacêuticas”, comenta Janete. Com apoio de profissionais especializados, o Sabin, que começou com três funcionários, alcançou a marca de 2000. Aos novos colaboradores, elas repetem a frase que se tornou um lema desde que, sentadas na calçada, observavam o prédio da empresa que acabavam de criar: “Tire seus sonhos da gaveta”.

Apesar do Brasil ser um dos países com  maior número de mulheres empreendedoras,  elas ainda precisam continuar se empoderando e  vencendo a barreira cultural que não incentiva o sexo feminino a assumir posições de liderança e risco. Assim como o exemplo acima, elas estão sim cada vez mais presentes e buscando seu espaço no mundo dos negócios.

Polo de Liderança Sebrae
Ler conteúdo completo
Indicados para você