[ editar artigo]

Liderando um Time Multicultural

Liderando um Time Multicultural

Estive a frente de um time composto de 10 países e atendendo clientes de várias outras culturas.

Foi fácil? Não, não foi.

Na realidade foi um de meus maiores desafios.

Com costumes, culturas e formações distintos, precisei aprender a me relacionar dentro desse novo ambiente.

A liderança, por si só, já é um tema. Quando acrescentamos times multiculturais, maior é o desafio. Se falarmos ainda em liderar um time que está fisicamente em outro local, ainda mais a aprender!

Hábitos sociais, processos, ciclo de negócios, ritmo de trabalho e expectativas em relação a entrega, medo do desconhecido e insegurança das partes interessadas, falta de compreensão e confiança, diferentes percepções e valores, falta de tolerância para mudanças, recusa da fonte de mudança, dificuldade de entender as diferenças culturais, são alguns dos conceitos chaves envolvidos.

Desafiador também é o tema do controle da equipe. Precisa um grau de confiança maior e maturidade dos colaboradores.

O tema estratégico (como desenvolver o time à distância, ouvir as duas partes de um mesmo fato, dar feedbacks, avaliar o desempenho com precisão, orientar cada membro da equipe) foi para mim o mais difícil.

Ficava sempre a dúvida: Fui clara o suficiente?” Ficou tudo bem?... Fiz algum julgamento equivocado ? Criei distância ou aproximei?

À distância, expressões não são vistas e fica mais difícil fazer a leitura do momento. Este é um ponto fundamental no engajamento e no alcance de nossas metas, pois a falta da compreensão dificulta a formação do vínculo,

Encontros presenciais, regulares, para ajudar os membros a se conhecerem e também a conhecerem melhor o próprio líder, esclarecer as tarefas e processos, não apenas as metas, tirar dúvidas e dar atenção ao alinhamento das tarefas, deixar as expectativas claras, alinhar métodos e processos de trabalho, fazer reuniões virtuais de acompanhamento de atividades para identificar necessidades de ajustes e de treinamento, criar acordos e boas práticas para ajudar a comunicação a fluir, comunicação direta evitando trocas vai e vem de e-mails, rotinas regulares de reuniões de acompanhamento, tanto individuais quanto em grupo, pautas claras das reuniões e registro dos planos de ação, cumprimento de horários com início e término definidos, espaço para que as pessoas compartilhem seus desafios e eventualmente até brincadeiras saudáveis, criar planos de ação com objetivos, prazos, detalhes das tarefas e membros responsáveis. Tudo isto sem focar no micro gerenciamento, e sim na entrega da produtividade. O gerenciamento do desempenho e o desenvolvimento de cada membro do time realizado individualmente, foram alguns dos recursos que utilizei na minha gestão.

Além disto, disciplina, organização e empatia são fundamentais para liderar um time à distância.

Ao final, tudo é enriquecedor para todos os membros do time e dá uma visão de mundo e do outro que fazem valer os desafios!

Hoje trabalho compartilhando minhas experiências com pessoas e organizações e, sigo aprendendo, pois a troca nos permite estar atualizados com este mundo tão dinâmico.

Ler conteúdo completo
Indicados para você