[ editar artigo]

Liderar é INSPIRAR

Liderar é INSPIRAR

Em tempos de crise, presenciamos líderes de nações de diferentes tamanhos e complexidades, em busca de soluções para resolver as problemáticas que beiram ao caos. Para criarem políticas de proteção à sociedade e a economia tiveram que se despir de seu conhecimento e de sua razão para se inspirar em outras lideranças e em experiências na tomada de decisão. Nestes momentos de dificuldade não existem respostas prontas, e sim a possibilidade de construí-las em conjunto, valorizando a expertise e conhecimentos múltiplos de um trabalho de equipe onde se encontra diversas outras lideranças.

Neste sentido o líder precisa estar aberto ao novo, ser flexível e humilde para opiniões que são diferentes das suas, coragem para construir em conjunto e clareza de onde quer chegar para levar os liderados consigo. Ter a consciência de que as respostas não estão em um líder especificamente e sim no conjunto, no grupo, na rede. A real convicção de seu papel como líder se dá nestes momentos. Mas será que isso é pra qualquer um?

Falando em inspiração, em especial gostaria de chamar a atenção para algumas experiências exitosas como Finlândia, Dinamarca, Nova Zelândia, Islândia, Alemanha, Noruega e Taiwan, países liderados por mulheres, que estão sendo mais eficientes no combate à covid-19 do que outros de porte e condições econômicas semelhantes. Segundo opiniões especialistas e órgãos de imprensa, há uma explicação. Características femininas de liderança, como empatia e cuidado, têm sido fundamentais para encontrar o melhor equilíbrio no momento da tomada de decisão.

 “A empatia e eficiência são mais importantes neste momento do que a política.”  

Angela Merkel, Chaceler da Alemanha desde 2005, em discurso na televisão declara “Desde a Segunda Guerra Mundial não houve um desafio para o nosso país que dependesse tanto da nossa ação conjunta e solidária”.  

Cautela é a ordem do dia, e não o excesso de confiança”.

Assim com sensibilidade e rigor vem controlando os casos no país.

Compatriotas também a chamam Mutti (mamãe, em alemão) por inspirar grande segurança em meio às turbulências.

Na Finlândia, Sanna Marin que aos 34 anos é a primeira-ministra mais jovem do mundo declara em publicação no site do ministério finlandês Valtioneuvosto Statsradet

 “O estado de emergência afeta a todos nós. Tivemos que limitar ou desistir de muitas das coisas que são importantes para nós. Para muitos de nós, as preocupações com a saúde, o bem-estar, os meios de subsistência e a capacidade de lidar com nossos entes queridos são presença constante em nossas vidas cotidianas. No meio da crise, é bom parar e pensar em como estamos e como podemos nos apoiar nesses tempos difíceis.”

“Ela tem uma taxa de aprovação de 85% entre os finlandeses por sua preparação para a pandemia, com apenas 59 mortes em uma população de 5,5 milhões.” Fonte CNN.

Mulheres como estas e tantas outras, em cargos mais elevados, superaram muitos desafios de uma cultura predominantemente patriarcal milenar, e que quando chegam lá, por uma seleção natural, dão um show à parte, sem perderem a essência. Sem subir o tom de voz. A conquista não é pelo grito e sim pela postura.

"Não acho que as mulheres tenham um estilo de liderança diferente do dos homens. Mas quando elas estão representadas em posições de liderança, isso traz diversidade à tomada de decisões", diz Geeta Rao Gupta, diretora executiva do Programa 3D para Meninas e Mulheres e membro sênior da Fundação das Nações Unidas em matéria à BBC NEW.

"Isso traz melhores decisões, porque você tem a visão tanto de homens quanto de mulheres", disse ela à BBC.

Exercer este papel exige coragem e autoconfiança para o enfrentamento. Não me referindo a uma disputa de quem é melhor ou pior e sim, de um jeito diferente de fazer. Homens e mulheres podem compartilhar os espaços. É uma construção social que vem acontecendo gradativamente nos últimos anos e que precisa se fomentada.  Por isso da inspiração em mulheres, uma provocação para que outras também assumam papeis de liderança. É um equilíbrio salutar para qualquer organização ou nação.

No vídeo a seguir, você irá conhecer um exemplo de liderança feminina. A jovem advogada que se dispôs a fazer diferente, que se permitiu vivenciar uma experiência de ocupar um cargo desafiador e que convida a outras mulheres a exercitarem sua liderança, efetivamente. A ocuparem um lugar de protagonismo efetivo na sociedade.

  • Maressa Pavlak Melati, Advogada, com especializações em direito do trabalho e previdência social, direito civil e processual civil. Em 2019 assume a presidente da Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Laranjeiras do Sul.

“Conciliar o tempo entre a profissão, a vida pessoal e o cargo atual realmente é desafiador, mas precisamos dar o nosso melhor. Liderar pelo exemplo é a minha crença. Estamos abrindo caminhos para que outras mulheres possam ocupar espaços de liderança.”

E você, tem alguém em quem se inspirar?

Aceite o convite da Maressa e deixe você também o seu legado de realizações.

 

Elisangela Rosa - consultora

erosa@pr.sebrae.com.br

(45) 9 9155-2300

 

Convido você para compartilhar suas dicas e experiências também.

O Sebrae está com atendimento 100% digital neste período. Mesmo de casa, vamos orientar você, com relação a sua empresa. Nos acione através dos seguintes canais: 🔵 WhatsApp / Chat / Facebook / E-mail 🔵

Polo de Liderança Sebrae
Elisangela Rosa
Elisangela Rosa Seguir

Administradora. Formação em Consultoria Empresarial e Empreendedorismo. Especialista em comportamento organizacional pela SBDG e Coach Executive pela ABRACEM. Consultora no SEBRAE/PR e gestora em Liderança.

Ler conteúdo completo
Indicados para você