[ editar artigo]

Qual sua forma para se comunicar?

Qual sua forma para se comunicar?

 

Hoje aconteceu uma coisa muito interessante, que me levou para um passado não tão longe e gerou uma reflexão.

Acordei e quando entrei na cozinha, vi o seguinte bilhete na parede, sobre a pia de louça cheia para lavar do jantar da noite anterior.

Neste instante, um sorriso surgiu e lembrei de como eu (mãe, profissional e provedora da família), fiz para administrar tudo. Passava a maior parte da semana fora da cidade ou trabalhando no avançado da noite.

O celular já existia, mas não tínhamos o WhatsApp, no máximo um SMS, mas com pouco uso. Então a forma de me comunicar através de bilhetes funcionou muito bem, todos adotaram a prática e tínhamos bilhetes pequenos na geladeira ou na lavanderia,  enormes na sala de estar para receber alguém que voltava de viagem ou fazia aniversário, ou ainda de planejamento de atividades e também de desculpas.

Já me emocionei muito com isso e percebi que por mais simples que fosse, funcionava muito bem.

Lógico que o bilhete não transmite o tom da voz, o carinho do elogio ou a rispidez na advertência, mas quem lê sabe e entende, porque conhece a pessoa. Por isso, a forma como você fala e age com as pessoas, será transmitida num recado escrito. Hoje para evitar dúvidas, colocamos emojis nas frases, para dar o tom que queremos. Se estamos bravos colocamos ☹, se estamos tristes colocamos 😪, se estamos felizes será 😊, Risada pode ser kkkk, rsrsrs ou 🤣.

Faria sentido você deixar um bilhete de parabéns para seu filho uma semana depois que ele te mostrou algo legal? Faria sentido chamar a atenção de um colaborador 15 dias depois do acontecimento? Por isso ser assertivo, vai além de falar o que deve ser dito, da forma mais direta e cuidadosa possível, mas também no momento que acontece.

O que importa é que a comunicação seja feita de forma assertiva e pontual, no momento que as coisas acontecem.

Já escutei muitas pessoas falarem: eu sou direta mesma, sou durona. Muitas vezes isso é má educação e grosseria, e não assertividade.

Então, ser assertivo é bem diferente de ser grosseiro, certo? Temos a comunicação assertiva, a passiva e agressiva.

Que tal fazer uma auto avaliação para saber como é sua comunicação? Manda no comentário deste post e eu te envio por e-mail, ok?

Ah! Vou terminar a história do bilhete do início desta história.

Meu filho hoje tem 24 anos, e está na pandemia na minha casa, já que mora em outra cidade e as aulas estão suspensas. Ontem fizemos o jantar juntos e ele disse que lavaria a louça.

Fui deitar um pouco antes e no dia seguinte quando entrei na cozinha vi o bilhete. Comunicação simples e direta, que me trouxe uma extraordinária reflexão sobre não complicar o que pode ser simples.

Não faça mil rodeios quando for falar, mas tenha “tato”, seja gentil, perceba como a outra pessoa está e então aborde o assunto.

Hoje, o assunto foi a louça, mas acreditem que muitos assuntos já foram conversados desta forma na minha casa.

Se você lidera pessoas, como está sua comunicação? Assertiva, agressiva ou passiva?

Sandra Trujillo Costa

Sou líder, e agora?

Polo de Liderança Sebrae
Sandra Trujillo Costa
Sandra Trujillo Costa Seguir

Administradora. Formação em Gestão de Negócios-FGV e Empreendedorismo-Universidade Positivo. Especialista em comportamento organizacional pela SBDG. Consultora no SEBRAE/PR e gestora em Liderança.

Ler conteúdo completo
Indicados para você