[ editar artigo]

Parlamentar e Empreendedora! Conheça a história da Deputada Marilia Góes do Amapá

Parlamentar e Empreendedora! Conheça a história da Deputada Marilia Góes do Amapá

A Deputada Estadual, Marilia Brito Xavier Góes, nasceu em 29 de dezembro de 1965, no Pará. Mas é amapaense de coração e trajetória. Bacharel em Direito, delegada da Polícia Civil do Amapá, primeira-dama do Estado, esposa do governador do estado o excelentíssimo Sr. Waldez Góes, mãe de sete filhos e avó. Está no terceiro mandato de Deputada Estadual pelo PDT/AP. Defensora especialmente das causas sociais, do autismo, do empreendedorismo, dos direitos humanos, da mulher, da criança e do adolescente e da comunidade LGBTQIA+. Ativista pela causa do autismo há quase uma década, é coordenadora estadual do Movimento Orgulho Autista Brasil (Moab) no Amapá desde 2019. Atualmente é vice-presidente da Comissão da Criança, do Adolescente e da Assistência Social do Legislativo Amapaense; presidente da Comissão de Empreendedorismo; e vice-presidente da Comissão de Segurança Pública da referida Casa de Leis. Já exerceu a função de diretora-presidente da Agência de Promoção da Cidadania; foi secretária Especial de Desenvolvimento Social; secretária de Estado da Inclusão e Mobilização Social de 2003 a 2010; e já presidiu as Comissões de Direitos Humanos (CDH) e da Criança, do Adolescente e da Assistência Social, da Assembleia Legislativa do Amapá.

1. INTRODUÇÃO

Como delegada de polícia, Marilia Brito Xavier Góes, atuou durante muitos anos na Delegacia da Mulher. Essa experiência lhe fez compreender a necessidade de políticas públicas nas diversas áreas, como educação, valorização da mulher e uma efetiva fiscalização das leis vigentes, de proteção e garantia de direitos a esse público. Como parlamentar identificou, que a dependência financeira e a falta de conhecimento são fatores que contribuem para que a mulher continue no ciclo devastador de violência doméstica, público que faz questão defender. Enquanto representante do povo no Legislativo Amapaense, sempre se preocupou em planejar, executar projetos, e formatar proposituras que oportunizassem à mulher sair desse ciclo. Contribuiu através do mandato com proposituras para instituir, no Amapá, a Campanha Estadual 16 dias de Ativismo, e a Política Estadual ao Empreendedorismo Feminino; pelo fim da violência contra mulheres, entre outras frentes de trabalho. Mas, sobretudo, foca em encontrar uma forma de despertar nas mulheres amapaenses a vontade de obter uma autonomia financeira. De fazê-las enxergar que não há necessidade de permanecer em um relacionamento abusivo por dependência financeira. Fazê-las recuperar a confiança em seu potencial, a autoestima, a esperança por uma vida tranquila, sem melindres, sem infelicidade

2. DESENVOLVIMENTO  

  • Projeto Caminho Empreendedor

Em 2016, enquanto presidente da Frente Parlamentar em Defesa do Cooperativismo (FPDC), a deputada Marilia Góes deu o passo inicial para a criação do Caminho Empreendedor. A parlamentar instituiu o “Maré Mulher”, um projeto com olhar especial para as comunidades ribeirinhas do Estado do Amapá, por meio de ações voltadas ao empoderamento feminino e ao empreendedorismo, com viés para a formação e apoio às cooperativas e negócios econômico-solidários. Voltado às novas políticas e desmistificação do universo empreendedor, contribuindo assim para a elevação de renda e o desenvolvimento econômico regional. Foram alcançadas com o Maré Mulher, mulheres do interior do estado, como castanheiras, louceiras, artesãs, catraieiras, agricultoras, avicultoras, vendedoras de camarão, produtoras de farinha, tecelãs, coletoras de açaí, cultivadoras de plantas medicinais e pescadoras.

       Maré Mulher, foi o pontapé inicial para o Caminho Empreendedor. Desde 2017, o projeto articula parceiros para levar qualificação empreendedora aos quatro cantos do Amapá, de acordo com a vocação de cada município. As capacitações abordam: como iniciar um empreendimento, planejar, crescer, ter acesso à financiamentos, coaching para empreendedor, dicas de comercialização. O projeto ainda articula o acesso dessas mulheres a serviços relacionados ao empreendedorismo, cooperativismo, economia solidária e crédito. O Sebrae no Amapá é parceiro do projeto no estado.

       O Caminho Empreendedor alcançou mais de 6.400 pessoas de 2017 a 2019. Iniciou focado para o público feminino (na perspectiva de gerar autonomia, independência financeira, empoderamento e rompimento do ciclo de violência), depois expandiu-se também para a juventude e pessoas beneficiárias de programas sociais do Estado do Amapá. A deputada Marilia Góes acredita que o empreendedorismo transforma vidas, empodera, gera autonomia, independência financeira, e sobretudo: dignidade.

“A Deputada Marilia Góes acredita que o empreendedorismo gera renda e independência financeira. Especialmente o empreendedorismo feminino, torna a mulher protagonista de sua vida, de suas decisões. Gera liberdade, autonomia”.

              "As políticas públicas de assistência social são fundamentais. Mas o tempo de permanência é legalmente limitado. Portanto, preparar essas pessoas para empreender, é oportunizá-las independência financeira e autonomia", frisou a parlamentar. 

Desde 2020, devido a pandemia, as ações do projeto estão suspensas. Mas o planejamento para retomada no pós-pandemia está a todo vapor.

  • Programa Minha Primeira Empresa

De autoria da Deputada Marilia Góes, incentivar a criação e formalização de novas empresas é o foco do programa Minha Primeira Empresa. Três editais foram lançados em dezembro de 2020, que selecionou 60 propostas entre jovens, pessoas beneficiárias de programas sociais, e pretensos empreendedores do Comércio, Indústria e Serviços. A execução Governo do Estado do Amapá (Agência Amapá e Afap) em parceria com o Sebrae no Amapá.

O programa atende empreendedores com orientações, cursos e financiamento, faz parte do investimento econômico Amapá Mais Forte, que busca fortalecer a economia amapaense e oportunizar jovens e beneficiários de programas sociais para que tenham autonomia financeira.

O Programa proporciona à qualificação para o empreendedorismo, formalização da primeira empresa, acesso a crédito, e acompanhamento técnico por dois anos.

A deputada estadual Marilia Góes esclarece que o programa surgiu a partir de uma pesquisa realizada pelo mandato, onde identificaram que 84% das pessoas entrevistadas não empreendiam por falta de financiamento.

“Requeremos o Minha Primeira Empresa, um programa que oferta capacitação, consultoria e financiamento para oportunizar mais pessoas, principalmente os nossos jovens, pois a pesquisa mostrou que muitos estavam ociosos e sem perspectiva. Esse programa além da autonomia financeira, traz dignidade e por meio do empreendedorismo mudamos a vida das pessoas e do nosso estado”, frisou a parlamentar.

3. CONSIDERAÇÕES FINAIS

Ao finalizar essa apresentação foi possível detectar que é crucial que um líder se apaixone pelos seus projetos e iniciativas que se envolve. Ser líder não é para todos, mas também não se nasce líder ou que qualquer um, bem ensinado seja um líder notável. Liderar não é uma ciência, é uma arte.

E não podemos falar das pessoas sem falar em diversidade. Em qualquer meio, seja organizacional, empresarial, político, religioso... elas são compostas por diferentes origens, etnias e pensamentos. As diferenças existem, e um dos segredos para uma boa liderança e desenvolvimento de equipes é valorizar e enxergar a vantagem competitiva que elas possuem.

4. REFERÊNCIAS

Assessoria de Comunicação da Deputada Marilia Góes 

http://www.al.ap.gov.br/

http://www.al.ap.gov.br/pagina.php?pg=exibir_noticia&idnoticia=11608

https://tribunaamapaense.blogspot.com/2017/09/caminho-empreendedor.html

https://amapaonline.com/programa-minha-primeira-empresa-ira-incentivar-jovens-a-criar-e-formalizar-novas-empresas/ 

 

Liderança Feminina

Polo de Liderança Sebrae
Ler conteúdo completo
Indicados para você